Dr. Juarez
Mastologia PDF Imprimir E-mail

img2 O QUE É A MASTOLOGIA

A Mastologia é a especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira responsável por prevenir, diagnosticar, tratar e reabilitar as pacientes e os pacientes com doenças da mama, benignas ou malignas.

O médico especialista nesta área é chamado mastologista. Para que o médico seja reconhecido como mastologista ele deve ter o título de especialista em Mastologia e ter feito previamente outra especialidade, normalmente ginecologia ou oncologia cirúrgica.

Mas o que são as mamas, afinal? De uma forma simples, as mamas (ou seios) são glândulas que tem como função principal a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e conduzem o leite produzido para fora pelo mamilo.

Como todos os outros órgãos do corpo humano, encontramos nelas vasos sanguíneos, que irrigam os seios de sangue, e os vasos linfáticos, por onde circula a linfa. A linfa é um líquido claro que tem uma função semelhante ao sangue de carregar nutrientes para as diversas partes do corpo e recolher as substâncias indesejáveis. Os vasos linfáticos se agrupam no que chamamos de gânglios linfáticos, ou ínguas. Os vasos linfáticos das mamas drenam para gânglios nas axilas (embaixo dos braços), na região do pescoço e no tórax.

Podemos comparar a glândula mamária a uma árvore. Os ácinos mamários presentes nela são a menor unidade funcional da glândula, tais quais as folhas presentes nas porções terminais das árvores. A disposição deles na glândula, ou seja, o seu tipo de  agrupamento é semelhante às ‘folhas em roseta’ sendo  que cada conjunto de ácinos mamários é denominado de lóbulo mamário. O leite produzido nos ácinos assemelha-se a seiva elaborada presente nas folhas.

Assim como a seiva elaborada percorre o floema presente na casca das àrvores, semelhantemente o leite produzido nos ácinos percorre os ductos mamários, desembocando nos lobos, ramos primários da glândula mamária compostos por um conjunto de lóbulos.

Dos lobos o leite segue seu caminho pelos ductos mamários como a seiva é transportada pelo floema da  árvore. Por eles, o leite alcança a ‘caule’ mamário, ou seja, o seio galactóforo e finalmente desemboca na papila,  a ‘raiz’ mamária. Na papila encontram-se de 15 a 20 orifícios ductais semelhantes às ramificações radiculares das raízes das àrvores.

Fonte: INCA, 2002

 

A mama jovem pode ser comparada a uma árvore na primavera, exuberante, densa, no pleno vigor de sua forma. Todos os seus componentes funcionando de forma harmônica para um objetivo comum, a secreção, produção e posterior liberação do leite, produto final da glândula mamária.

Já a mama idosa assemelha-se a uma árvore no inverno. No inverno a árvore perde as folhas, ou seja, a capacidade de produzir a seiva elaborada e, da mesma forma os ácinos na glândula mamária são substituídos por tecido adiposo e, portanto, perde-se a capacidade de produzir o leite. Por causa da substituição tecidual por tecido conjuntivo e adiposo, a mama perde a sua estrutura lobular, a densidade, forma e volume.

 

Vídeos

Enquete

O que você achou do nosso Site?